Home » Missionário Alfredo Winderlich

Missionário Alfredo Winderlich

Alfredo Winderlich nasceu na Alemanha. Formou-se em Farmácia, na sua terra natal, antes da Primeira Guerra Mundial, na qual serviu na Cruz Vermelha do Exercito Alemão, expondo-se a perigos de vida, por muitos anos, para minorar o sofrimento humano dos atingidos pela guerra. Cessada a luta, sentindo em sua própria vida os efeitos dela, resolveu dedicar-se inteiramente a causa do Evangelho, no mundo, viajando para a Suécia, onde fez estudos de Teologia e outras matérias no Seminário Batista de Örebro.

Ingressou no seminário ciente com uma chamada para o Brasil. Quase no final de seus estudos procurou o diretor John Ongmann para saber se pode contar com o auxilio da missão para ser enviado ao Brasil. Ongmann o aconselhou dirigir-se a Missão Batista Alemã na Alemanha, que enviava missionários ao Brasil. Dirigiu uma carta para o dirigente da Missão e recebeu a seguinte resposta: “Um pentecostal não pode entrar no Brasil”. Chocado e muito triste comunicou ao Pastor Ongman a resposta negativa que recebera da Missão Alemã. Ele lhe disse: “Irmão não precisa desanimar, se Deus te chamou vai abrir uma porta para você”. Não demorou muito quando o Pr Ongmann o chamou e disse: “Agora a porta se abriu, pois veio uma carta do Brasil pedindo um missionário que fala o idioma alemão e nós vamos te enviar ao Brasil.”

Depois de ter concluído seus estudos Teológicos veio em 1926 com sua esposa missionária Emma ao Brasil. Dedicando-se inicialmente ao ministério entre agricultores de língua alemã, substituindo Erik Jansson no pastorado da Igreja Batista Independente Betél de Linha Dr. Pederneiras e Igreja Batista Independente em Timbauva no estado do Rio Grande do Sul.

Ali em meio à mata virgem havia um grande campo de Missões. Para atender o trabalho, andava de carroça, a cavalo ou a pé. As estradas na época se encontraram em estado péssimo e quando chovia eram quase intransitáveis. Encontraram muitas dificuldades, mas foram felizes e segundo suas próprias palavras, foi o tempo mais feliz de sua vida e seu ministério, pois muitas almas aceitaram Jesus e foram batizadas. Nesse tempo de avivamento foi obrigado a chamar os missionários Gunnar e John Sjöberg, que lhe auxiliaram periodicamente no trabalho de evangelização. Trabalhou neste campo durante oito anos e meio, batizando 462 pessoas.

No dia 28 de junho de 1931 Alfredo Winderlich organizou uma congregação em Novo Machado, RS e no dia 27 de dezembro no mesmo ano organizou a Igreja Batista Zoar com 35 membros.

Em 1939, mudou-se para Santa Maria, onde iniciou o trabalho de evangelização e já no dia 6 de janeiro de 1940 organizava a Igreja Batista Independente.

Por motivo de enfermidade de sua esposa foi obrigado a mudar-se em 1942 para Porto Alegre, RS, onde sua esposa irmã Emma faleceu. Mais tarde casou-se com a missionária sueca Elisabeth.

Em 1945, assumiu o trabalho da congregação da Igreja Batista Independente Betel de Porto Alegre, em Santa Cruz do Sul. Em 26 de janeiro de 1946, organizou a Igreja Batista Independente naquela cidade.

Decorridos 35 anos da presença missionária no Rio Grande do Sul o casal Alfredo e Elisabeth Winderlich, atenderam um convite de um grupo de irmãos e mudaram-se para a capital de São Paulo. Sua chegada deu-se em 22 de outubro de 1948, tornando-se pioneiros do trabalho Batista Independente no Estado de São Paulo. No dia 10 de maio de 1949 organizaram a Igreja Batista Filadélfia, em São Paulo – Capital, com cerca de 40 membros. A partir do ano 1950, a presença missionária no Estado de São Paulo foi ampliada, com a chegada dos casais Stina e Olof (Olavo) Berg a Jundiaí e Gertrud e John Waldemar Sjöberg à cidade de Sorocaba.

Alfredo Winderlich também foi o pioneiro do trabalho Batista Independente no estado do Paraná.

Muitas famílias imigraram do Rio Grande do Sul, para Tupinambá no Norte do Paraná em busca de novas terras para si e seus filhos. Entre elas se acharam muitas famílias crentes, que também tiveram o desejo de semear a palavra de Deus neste lugar e por isso resolveram convidar o Missionário Alfredo Winderlich de São Paulo com o objetivo de iniciar um trabalho de evangelização. O inicio do trabalho deu-se no dia 12 de junho de 1950 quando receberam a visita do Missionário Alfredo Winderlich, que reuniu ali um grupo de irmãos e organizou uma congregação, filiada a Igreja Batista Independente de São Paulo. No dia 17 de julho de 1951 foi organizada a igreja Batista Independente Filadélfia com 48 membros na casa do irmão Leonardo Zimmermann.

Em janeiro de 1958, organizou a Igreja Batista Filadélfia, de Novo Sarandi, PR com suas congregações em Maripá e Marechal Cândido Rondon, ficando como seu primeiro pastor. Através de seu trabalho também surgiu a Igreja Batista Independente de Nova Santa Rosa, PR. No dia 27 de novembro de 1960 organizou a Igreja com 67 membros. Em 1959 Fixou residência em Rolândia, PR, abrindo um novo trabalho naquela cidade.

Regressou para a Suécia para um período de férias com o objetivo de voltar ao Brasil e continuar o trabalho de evangelização. Infelizmente foi acometido de uma enfermidade e veio a falecer num hospital, em Estocolmo, capital da Suécia, em março de 1964.

No ano de 1971 o Prefeito Municipal Dr Luiz Alves Rolim Sobrinho da cidade de Santa Maria, Estado do Rio Grande do Sul, baixou decreto denominando Rev. Alfredo Winderlich, a Escola Municipal localizada na Vila Santos. Foi uma justa homenagem ao emérito missionário das Igrejas Batistas Independentes, que por longo período de quase 40 anos esteve a serviço do Evangelho no Brasil.

Pastor Ernesto Gerstberger, que por muitos anos trabalhou ao lado do Missionário Alfredo Winderlich, quando recebeu a noticia de seu falecimento dirigiu a seguinte mensagem a sua esposa missionária Elisabeth: “Agora descansam os pés diligentes que sempre estavam prontos para ir a qualquer lugar para servir ao Senhor. Como foram rápidos e leves para ajudar a qualquer pessoa. Agora descansam as mãos diligentes que tanto trabalharam na Obra do Senhor. Seu aperto de mão, seu abraço caloroso sempre testemunhava de um amor cordial. Quem pode dizer quantas ofertas estas mãos ofertaram para os necessitados, as igrejas e a Obra do Senhor? Só Deus sabe e o recompensará. Agora também descansa sua voz agradável, que era tão rica em palavras. Através de suas mensagens muitas pessoas foram salvas, exortadas, consoladas, abençoadas e edificadas! Não se cansava em prol da Obra do Senhor”.

</div>