Home » Estudos Bíblicos

SABEDORIA X RIQUEZA

Enviado por em quarta-feira, 29 maio 2013Nenhum comentário
IMG_0019 - Cópia

Pr. Eljoenai W.

Sabedoria e Riqueza; qual das duas é mais importante?

Qual é a nossa maior necessidade? O que pedimos a Deus com mais freqüência?

Parece que esta havendo um erro de orientação muito grave, que tem causado não pequenos danos à Igreja e, ao mesmo tempo uma afluência  enorme de novos crentes. Esse erro de orientação agrada a massa e atrai discípulos. Ele se propaga rapidamente pelos púlpitos , pela televisão e pelos livros.

Nunca se orou tanto como hoje em dia. No mundo inteiro. Em todas as religiões.  Tanto nas Igrejas históricas  como nas Igrejas pentecostais e carismáticas , talvez mais nestas que naquelas além do seu aspecto devocional de comunhão com  Deus a oração tem sido anunciada e usada como instrumento válido e certo de adquirir, preservar e aumentar tesouros na terra, cresce cada vez mais o casamento da religião com a prosperidade, não me entendam errado pois também creio no Deus que é dono do ouro e da prata, que Ele por sua vez pode fazer prosperar a quem Ele quiser, portanto falo em escala de prioridades – “Buscai em primeiro lugar o reino de Deus e sua justiça e as demais coisas vos serão acrescentadas” (Mt6:33) . Vivemos em uma época que o ter continua atraindo mais que o ser. Onde o  fim principal do homem não é glorificar a Deus , o fim principal do homem é a segurança  financeira (e convenhamos : insegurança total) são os bens  de consumo, é o conforto proporcionado pela máquina , é a beleza da roupa, a beleza do corpo, a beleza das jóias , a beleza da casa, do carro, e assim por diante a beleza do que os olhos podem ver e o conforto que o corpo pode sentir.    Boa parte do movimento neopentecostal, tanto protestante ou não, está comprometido com a chamada teologia da prosperidade, o oposto da Teologia da Libertação, o casamento da religião com a prosperidade em nossos dias é sólido, mais do que muitos matrimônios entre homem e mulher, não há sinais de ruptura à vista. A Fé é considerada um trampolim para a obtenção e manutenção da qualidade de vida  terrena, e apenas terrena,

Fazendo uma análise histórica ; o jesus atual parece proteger a riqueza dos ricos e o Jesus dos velhos tempos mandava ajuntar tesouros no céu , “onde os ladrões não arrombam e nem furtam” (Mt 6:19) . O jesus de hoje parece encorajar a riqueza e o Jesus de ontem explica que “mais bem-aventurado  é dar do que receber” (At 20:35) O jesus desde século parece não esvaziar os bens de ninguém e o Jesus do evangelho  encoraja o esvaziamento das riquezas  Em beneficio da própria pessoa, em beneficio alheio e em beneficio do reino de Deus (Lc 18:18-30 , 19:1-10) No casamento da religião com o cifrão há coisas muito esquisitas. Hoje , o perigo  é Jesus nos causar um desapontamento como se pode ver nas palavras da esposa de um certo ex-ministro : “Não peço as coisas a Jesus para amanhã, é pra hoje. Oro e peço pra que Ele não me desaponte”.

Nessa ânsia pelas riquezas os novos crentes não conseguem enxergar o valor das riquezas acumuladas no céu. São como aquele homem muito rico que procurou  Jesus e depois desistiu dele (Lc 18:18-23).

Claro que como qualquer pessoa busco melhorar de vida a cada dia não posso ser hipócrita em falar ao contrário pois não seria a verdade, mas se fomos criados pelo Senhor  Jesus pra louvor de Sua Glória então precisamos priorizar o Reino do Senhor Jesus, porque não orar então também por outros valores, por outras graças, por outras bênçãos, certamente muito mais necessárias e valiosas do que as riquezas?  Em nossas orações não temos o costume de suplicar a Deus  coisas como amor, compaixão, desprendimento, humildade, coragem, entusiasmo, alegria, pureza sexual, direção, poder para testemunhar e assim por diante. Será que esses dons valem menos que as riquezas? Qual desses dois grupos de oração contribui mais para a implantação do reino de Deus na terra?

A Oração é o instrumento adequado para se adquirir sabedoria, uma das nossas maiores carências. É o apostolo Tiago que nos explica: “Se algum de vocês tem falta de sabedoria, peça a Deus, que a todos dá livremente, de boa vontade e lhe será concedida” ( Tg 1:5) . foi exatamente isso que Salomão rogou a Deus , quando era jovem e tinha acabado de subir ao trono de Israel, em lugar de  seu pai Davi (1º Rs 3:3-15). Ele fez o melhor uso possível da oração e Deus se agradou muito da sua suplica. Salomão era um homem encantado pela sabedoria e a ela se refere quase uma centena de vezes nos livros  de provérbios e Eclesiastes.

Outro escritor bíblico apaixonado por esse tipo de sabedoria que vem de Deus é Jó, e é exatamente Jó que faz comparação entre a sabedoria e a riqueza, para ele a sabedoria é muito mais cara do que o ouro fino, o ouro de Ôfir,  muito mais precioso do que o ônix, a safira, o coral, o cristal, as pérolas e o topázio da Etiópia (Jó 28:12-28).

A sabedoria a  que se refere a Bíblia não é a sabedoria dos sábios deste mundo. É uma sabedoria sóbria, centralizada em Deus, que ensina a viver e a morrer, que tem forte conotação ética, que sabe distinguir tão acerto a luz das trevas, que promove um bom relacionamento do ser humano com Deus. O ponto de partida dessa sabedoria  dinâmica é o temor do Senhor, como testemunha o próprio Salomão: “para ser sábio é preciso primeiro temer ao Deus Santo, então tem compreensão das coisas” (Pv9:10)

E para concluir pergunto-nos : “Estamos apaixonados pelo Jesus da Bíblia, ou pelo jesus deste século? Nos apaixonamos pela Sabedoria ou pelas Riquezas?  Utilizamos a oração para o que?  Medite sobre isso!!!

Pastor Eljoenai Wildemann

Deixe seu comentário!

Add your comment below, or trackback from your own site. You can also subscribe to these comments via RSS.

Be nice. Keep it clean. Stay on topic. No spam.

Você pode usar estas tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Este site permite usar Gravatar. Para ter o seu próprio registre em Gravatar.

</div>